sábado, 25 de abril de 2015

The Young Professionals - All Of It But Me [Video]

Quote

" - Acredito que um desejo, uma oração e um feitiço são todos a mesma coisa - digo - Quando rezais, sabeis que desejais alguma coisa; esse é sempre o primeiro passo. Permitir-vos saber que desejais alguma coisa, que ansiais por ela. Por vezes, isso é o mais difícil. Porque é necessário ter coragem para se saber o que se deseja. É preciso coragem para se admitir que se é infeliz sem ela. E, às vezes, é preciso arranjar coragem para saber que foi uma tontice ou um erro nosso que nos fez perdê-la (...)"

"A Senhora dos Rios" - Philippa Gregory 

quarta-feira, 22 de abril de 2015

O 4º Encontro Com O Moço Das Batatas Assadas

#1 AQUI.
#2 AQUI.
#3 AQUI.

Passadas mais de duas semanas desde que tinha estado com o N e depois do breakdown nervoso e das centenas de mensagens e telefonemas que rolaram desde então só tinha uma certeza: eu queria MESMO (com letras grandes, para não parecer que estou a dizer isto só por que sim) que acontecesse alguma coisa desta vez. Para vos poupar o trabalho de lerem o testamento que se segue para depois ficarem desapontados, digo-vos já que ainda não foi desta.


Nem me dou ao trabalho de ir aos pormenores por que o levei a almoçar num local onde a comida era péssima, não havia um único filme que quiséssemos ver, quando na verdade eu é que queria enfiar-me com ele numa sala escura a ver se acontecia alguma coisa que não pudéssemos fazer em plena luz do dia.


Depois deu-lhe os cinco minutos de grávida e quis ir comer um gelado. Por causa da porra do dente, fiquei a olhar para ele, e digo-vos que a empregada deve-lhe ter dado o copo mais fundo que tinha na porcaria da loja, por que a porcaria do gelado nunca mais acabava. E tudo melhorou quando via as colheres que ele levava praticamente vazias à boca só para se demorar mais a comer aquela porra. Ainda me dizia a rir-se, enquanto olhava para um dos geysers que estava a subir:

" - Olha, o geyser veio-se..."


Também não me fiquei:

" - A vida sexual dele deve ser melhor do que a minha, ele já se deve ter vindo umas duas ou três vezes desde que estámos aqui sentados, eu é que nada..."


Quando, finalmente, ele acabou a porra do gelado, deu-lhe os desejos de água, e a mim um desejo imenso de acabar com aquela merda toda, por que eu não nasci para ser microondas, não quero andar a aquecer ninguém para serem os outros a comer, e honestamente queria mesmo ir embora, só não fui por que não queria ser desagradável com ele.


Ele já estava com vontade de se enfiar na FNAC e eu a pensar que, se nada acontecia num centro comercial às moscas, então numa loja repleta de gente, muito menos. E eu já tinha ido à FNAC hoje, não havia nada de jeito. Eu bem que mandava a indirecta de querer estar a sós com ele, mas aquilo não colava e mais directo só mesmo a companhia de seguros.


Como nenhum de nós queria dar parte de fraco, ficámos feito  mirones na estação do metro a ver as alminhas que passavam, até que ele decide mandar aquela indIrecta muito directa, mesmo a ver se a coisa descambava e eu me borrava todo logo ali:

" - É impressão minha ou hoje já me deste a entender por duas ou três vezes, que se não acontecer nada entre nós HOJE, nunca mais nos voltámos a encontrar?"


Claro que tinha, não directa mas indirectamente... Por que estava (estou vá) completamente apanhado por ele e se vocês já sentiram aquela sensação de olhar para alguém e começar a tentar dizer-lhe telepaticamente que estão completamente em brasa, compreenderão o meu lado. Eu olhava para ele e só me dava vontade de fazer coisas que não posso dizer aqui por que nem os blogues para adultos se sentiriam bem a publicar o que eu estava a pensar. 


Só sei que ele se cansou de ficar em pé e quando dei por mim estava sentado no meio do chão entre a perna dele e encostado no ombro dele e coiso... não se passou nada, mas coiso...


Irrita-me solenemente que ele me deixe meter a mão em todo o lado, que me deixe completamente negro de me bater, que me magoe os ossos quando me tenta fazer cócegas, que me dê chapadas que quase me mandam ao chão, que não me diga nada quando quase levava o anel dele no meu dedo, que comece uma batalha mortal comigo quando, de cada vez que a porta do metro abria, eu tentasse pressionar a barriga dele, o suficiente para ele desatar às lapadas,  mas que se despeça de mim com um adeus super seco, sempre, e as coisas não avancem.

Provavelmente as coisas até estão (ou estavam, já não sei mais) a avançar para ele, mas honestamente acho que não estámos a andar ao mesmo ritmo... Já passo por tantas coisas nas montras das lojas que não posso comprar, e agora calha-me um rapaz que me deixa tocar em todo o lado mas que literalmente não quer nada...

Edurne - Amanecer [Video]

terça-feira, 21 de abril de 2015

O Senhor Meu Pai, Rei Da Subtileza

Eu " - Mãe, amanhã não almoço em casa."
Pai " - Vais ter com o gajo?"


Num mundo perfeito os filhos sentam-se à mesa com os pais e falam abertamente das coisas. Cá em casa as pessoas mandam as coisas assim para o ar, como quem não quer a coisa, para ver se acertam. Sim, vou sair com o gajo, e não, o gajo não é meu namorado. Ainda.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Momento Hilariante

Há quem diga que as melhores coisas vêem aos pares e hoje eu e a A tivemos a prova disso. Passam dois turistas por nós, que se de frente eram um mimo, de trás eram um omim. Eu não sei se um deles já experimentou candidatar o rabo a património da humanidade mas se algum dia se lembrar tem o meu voto.


Eis que voltam à nossa banca e eu e A estávamos basicamente com estas caras a falar para os ditos moços e a tentar engáta-los ao mesmo tempo, a ver se cola:


Turista A (para a minha colega). " - Why can't you come with us?"
A: " - I can't leave..."
Eu: " - I would go...."
Turista B: Why would you want to come?"
Turistas A e B: " - Oh...."

(Rimos os quatro)


Acho que A nunca mais vai querer trabalhar comigo na p»ta da vida...

Will Young - Like A River [Video]

Lady Antebellum - Long Stretch Of Love [Video]